26 de jan de 2011

Professores protestam contra o caos na educação e em Salvador

Secretária de Educação de Salvador - Eng. Velho de Brotas

Na terça-feira, dia 25/01, os professores da rede municipal de Salvador estiveram protestando contra o caos na educação, emato que aconteceu em frente a prefeitura e contou com a participação dos trabalhadores terceirizados que encontram com seus salários atrasados e os vigilantes que foram demitidos em função da rescisão dos contratos com as empresas de seguranças. Aplb-sindicato acompanhada da representante do fórum de gestores, professora Jacilene Santos, um representante de escola, professor Paulo César Souza e Luciene, que trabalha na empresa tercerizada FASEC, que atua nos CMEI’s representou os trabalhadores terceirizados entregou uma carta dirigida ao prefeito.

Carta tratou do pagamento dos salários que devem ser efetivados até o dia 30, assim como do estabelecimento de uma tabela com datas fixas de pagamento; consta também a imediata regularização do pagamento dos salários dos terceirizados e contratação emergencial de novos vigilantes, ao tempo em que exige a convocação de concurso público, em substituição a terceirização. Ressalta também sobre a agilização do processo de instituição do plano de saúde, da abertura de vagas para o quadro do magistério e do reajuste da gratificação dos gestores e secretários escolares.

O secretário da Educação garantiu que “até o dia 10 o salário de todos os terceirizados estará em dia e, a partir daí, não atrasará mais” e que “não haverá atraso de do pagamento dos salários dos servidores”.

O companheiro Hamilton Assis, coordenador pedagógico e presidente do PSOl SSA, juntamente com a companheira Denise militante também do PSOL e da educação no suburbio acompanharam todo o processo e desconfiam do cumprimento desses compromisso alerta a categoria pra se manter mobilizada reforçando a convocação de todos os trabalhadores da educação e serviços de apoio ao trabalho docente, para participar da assembléia dos professores convocada para o dia 07 de fevereiro, no inicio da jornada pedagógica, e até lá caso a prefeitura não tenha resolvido o problema defenderemos o retardamento do inicio das aulas até que as escolas adquiram condições efetivas de voltarem a funcionar, mas até lá manteremos o calendário de luta aprovado na reunião do conselho de representantes e do fórum de gestores.

01 de fevereiro, terça-feira, às 15 horas,Manifestação na Câmara de Vereadores, quando o Prefeito estará abrindo os trabalhos legislativos naquela Casa;

03/02, 5ª feira, às 10 horas, na APLB-Sindicato; Reunião de representantes de escolas, dia

07/02 – segunda-feira, às 9 horas, no ginásio de esportes do Sindicato dos Bancários. Assembléia geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário