19 de fev de 2011

Carta de reivindicações do Movimento Revolta do Buzu 2011 - Salvador

Salvador, 16 de fevereiro de 2011.

O movimento Revolta do Buzu 2011 entende que os transportes públicos de Salvador e região metropolitana sempre enfrentaram processo de sucateamento e precarização, fato que dificulta a mobilidade de locomoção da sociedade soteropolitana. Reivindicações foram feitas anteriormente e a prefeitura teve conhecimento delas, prometendo melhorias que não se concretizaram. Soma-se a isso o fato de se ter o aumento da passagem de ônibus de R$2,30 para $2,50, sem que houvesse consulta à população, encarecendo um serviço público de péssima qualidade. A partir da observação desses problemas e mobilizações feitas pelo Movimento Revolta do Buzu 2011, exigimos que sejam atendidas as reivindicações expostas a seguir.

A tarifa deve ser fixada de forma a garantir o direito de ir e vir de toda a população soteropolitana. Tendo em vista que o valor pago pelo uso do coletivo, em Salvador, é o mais caro do Norte-Nordeste e mais caro que o cobrado em grandes metrópoles do Centro-Sul como, Rio de Janeiro, Curitiba; exigimos que esse valor seja a um preço popular, compatível com a realidade sócio-econômica da maior parte da população da capital baiana. Exigimos ainda o não aumento da tarifa cobrada nos ônibus coletivos, por no mínimo, dois anos, de forma a não permitir novos aumentos abusivos.
Para a garantia de um transporte público de qualidade faz-se necessária a existência de mais pontos de integração, visto a extensão da cidade. Aracaju, que é uma cidade menor que Salvador, conta com 12 estações de integração. O aumento em número dessas estações leva a itinerários mais curtos, o que garante menores engarrafamentos, deslocamento mais barato e menor poluição. Torna-se indispensável que toda área metropolitana seja contemplada por tais estações de integração.
É fundamental democratizar, através do transporte público, o acesso à cultura, esporte e lazer para toda a população, por conta disso vemos a necessidade de frota de circulação regular 24h.

Para um sistema de transporte público de qualidade na cidade de Salvador é imprescindível a revitalização do sistema ferroviário do subúrbio e dos planos inclinados. Assim como a construção de um sistema INTEGRADO de ciclovias que perpassem pelas avenidas de vale, garantindo alternativas de locomoção de curta e média distância, desafogando o sistema rodoviário. Os meios alternativos supracitados são menos poluentes e melhoram a qualidade de vida da população.
Não há justificativa para a distinção entre os direitos estudantis do ensino técnico/profissionalizante e EAD para os demais. Portanto exigimos a extensão e manutenção das conquistas dos estudantes para todos que estejam qualificados como tal, estudante.

Exigimos a imediata facultatividade do Sistema de meia passagem, SalvadorCard, por seu caráter inconstitucional visto que, não consegue garantir nem mesmo o direito a meia passagem condicionando desta forma o direito de ir e vir do estudante à obrigatoriedade da recarga antecipada, ao pagamento de taxas ao SETEPS e ao deslocamento do estudante aos poucos postos de recarga. Para a manutenção ativa da vida acadêmica e cultural da juventude, é urgente a necessidade da implementação do sistema de PASSE LIVRE ESTUDANTIL, inclusive para todas as linhas metropolitanas.

Existe ainda o imperativo de construção de espaços institucionais que garantam a discussão e a intervenção popular no que se refere ao transporte público em Salvador.

Movimento Revolta do Buzu 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário