24 de mar de 2012

Hamilton Assis é o pré-candidato consensual do PSOL a prefeito de Salvador


O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) de Salvador realizou neste sábado, 10, seu 3º Congresso Municipal. Todas as decisões foram tomadas por consenso e aprovaram-se resoluções sobre a conjuntura, a tática eleitoral, eixos programáticos para Salvador, a organização do partido e a eleição do Diretório Municipal.


Hamilton Assis, pedagogo, ex-candidato a vice-presidente na chapa de Plínio de Arruda Sampaio em 2010, foi escolhido por unanimidade como pré-candidato do PSOL a prefeito de Salvador e também eleito consensualmente presidente do partido na capital.




Foi aprovada uma visão de conjuntura afirmando-se que “vivemos um período onde nunca antes na História do Brasil a hegemonia do capital esteve tão estável e garantida por um pacto entre partidos de origem na esquerda, o grande empresariado e a grande mídia. Por outro lado cresce a resistência popular aos ataques do capital sobre trabalhadoras e trabalhadores”, informa Hamilton Assis.


Com relação à conjuntura municipal o PSOL avaliou que administração de João Henrique se tornou em um desastre para a cidade principalmente para as populações pobres que depende dos serviços públicos e que os partidos que hoje articulam candidaturas de oposição à administração municipal, a exemplo do PSBD, PMDB, PT, DEM e PCdoB, também são responsáveis por tudo isso, pois estiveram na base de sustentação de João Henrique durante todo o seu mandato.


O PSOL também definiu os eixos de um “Programa Democrático e Popular para o Município de Salvador” que compreende a democratização da gestão pública, com a introdução do planejamento integrado e participativo que se articulará com um Congresso da cidade; sustentabilidade urbana e ambiental que implicará na revisão do PDDU, aprovado de forma ilegal pela Câmara de Vereadores e, a elaboração de um padrão de sustentabilidade urbana que subordine a expansão da cidade às determinantes sócio ambientais que tenham como meta a viabilização de uma melhor qualidade de vida para todos os habitantes da cidade principalmente aqueles que moram nos bairros periféricos; por fim, garantia dos direitos sociais assegurando a qualidade, efetividade e acesso ao serviço público; emprego e renda, moradia, mobilidade urbana, saúde, segurança e educação de qualidade como direitos elementar para o exercício da cidadania.


Hamilton Assis acrescenta que “para efetivar este programa o PSOL propõe estabelecer aliança com os partidos de esquerda socialista e vai buscar forma uma frente de oposição de esquerda com PCB e PSTU, sendo que o PCB já tem posição favorável. No encontro também foi indicada uma lista inicial de pré-candidatos a vereador, que o partido espera completar, alcançando cerca de 60 candidatos e assim buscar eleger uma bancada na Câmara”.


“Sobre a organização do partido em Salvador, a resolução diz que o PSOL já demonstrou a sua viabilidade. A continuidade passa necessariamente pelo fortalecimento dos núcleos, instâncias de base do partido; pelo aperfeiçoamento da democracia interna; critérios politizados de filiação e militância; a elaboração e aplicação de um estatuto que assegure o controle da direção partidária pela base militante; o estabelecimento de canais de comunicação permanentes com o conjunto da militância, e a sociedade civil organizada; e consolidação da unidade partidária. Por fim Hamilton Assis afirmou em seu discurso de posse que a prática e a reflexão constante sobre ela será o único meio de construirmos diariamente nosso projeto socialista de mundo. Ousar lutar venceremos!”, finaliza Hamilton Assis.
_________________
Pedimos divulgação por e-mails e nas redes sociais.


Faça parte do perfil: Facebook - Página 50

Nenhum comentário:

Postar um comentário