3 de out de 2013

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA DISCUTIDOS POR JHONATAS EM SERRINHA


Recentemente, aconteceu o Seminário de Formação Política do Pré-Vestibular Social Universidade e Comunidade (UNICOM) e Universidade para Todos (UPT) em Serrinha, que no dia 13 de setembro contou com a presença de Jhonatas Monteiro (PSOL) para discussão do tema “Desenvolvimento social e combate à pobreza”. Como reflexão inicial, Jhonatas analisou os traços básicos do modelo de desenvolvimento predominante no Brasil desde meados da década de 1990. Dessa forma, apontou que embora haja uma melhoria relativa da parte da população considerada pobre ou miserável, essa modificação tem alicerce muito frágil porque não implicou em redução significativa na desigualdade social do país. Nesse sentido, não houve modificação efetiva da concentração da riqueza, mas a soma de programas de transferência direta de renda, aumento do valor real do salário mínimo e expansão do micro crédito. Dentro desse contexto, Jhonatas apontou que os mais ricos se tornaram ainda mais ricos no Brasil nesse período ao ponto do país figurar em inúmeras listas de nações com maior número de novos “super-ricos” ou bilionários. Além disso, Jhonatas chamou atenção ainda para o modelo de gestão do Estado brasileiro contribui abertamente para tanto, pois a maior fatia do orçamento federal (43,98% em 2013) é consumida com juros e amortização da dívida pública, o que tem implicado em gastos mínimos com serviços básicos à população, como educação, saúde e outros direitos sociais: “Na atual forma de governabilidade, construída nos governos PSDB-DEM e mantida nos governos do PT, os direitos sociais não são prioridade de Estado e isso significa que a negligência com as questões sociais no Brasil não é apenas culpa desse ou daquele governante individual, mas resultado estrutural do projeto político dominante desde a década de 1990”. Assim, Jhonatas defendeu que, mais que apenas o combate à corrupção do sistema político, a luta pela ruptura com o atual modelo econômico como caminho necessário para um real desenvolvimento social. A partir dessa reflexão, Jhonatas debateu ainda questões colocadas pelo público sobre as perspectivas colocadas pelas manifestações desencadeadas em junho, a relação entre o programa Minha Casa Minha Vida e a especulação imobiliária, além de aprofundar a análise das consequências negativas da dívida pública para a maioria da população brasileira.


Ascom PSOL 

Nenhum comentário:

Postar um comentário