30 de ago de 2013

PROTAGONISMO DA JUVENTUDE É DISCUTIDO POR JHONATAS MONTEIRO


Jhonatas Monteiro (PSOL) voltou ao tema da juventude, dessa vez no Colégio Estadual Georgina de Mello Erismann, no último dia 22, convidado a falar sobre “O protagonismo juvenil na atualidade” para um público do Ensino Médio do turno noturno. Como parte da abordagem inicial do tema, Jhonatas relacionou algumas das formas problemáticas de visibilidade normalmente atribuídas aos jovens. Para Jhonatas, comumente essa visibilidade é a do jovem como alguém que “não é sério”, construção presente em referências artificiais como no programa televisivo “Malhação”. Essa visibilidade estimulada pelos veículos de comunicação baseia-se num perfil de juventude que não corresponde à realidade da maioria da população: branca, de classe média, egocêntrica e alheia às preocupações maiores sobre a vida em sociedade. Por outro lado, em especial a juventude negra e periférica, é alvo de uma visibilidade negativa através da associação midiática da sua imagem ao tráfico de drogas e às situações de violência em geral sem qualquer discussão que não naturalize essa relação. Assim, a violência que atinge a juventude negra e pobre do país é vista desvinculada da inexistência de políticas públicas que garantam seus direitos mais básicos. Para Jhonatas, esse processo reduziu a imagem do jovem a duas falsas metades, o “alienado consumista” ou o “delinqüente”, que não correspondem a sua complexidade. Nesse sentido, Jhonatas apontou que as manifestações recentes, percebidas em grande parte pelo protagonismo jovem nos protestos a partir de junho, entre os seus resultados criou um contraponto evidente à visão estereotipada da juventude. Segundo Jhonatas, a jornada de lutas que marcou junho indicou claramente que parte considerável da juventude brasileira tem interesse ou envolvimento direto nas questões políticas e sociais do país, mesmo que ainda sem um projeto de transformação claro ou engajado em mobilizações mais permanentes. Com base nessa reflexão inicial, Jhonatas comentou ainda inúmeras questões relacionadas à ao tema e desdobramentos como homofobia, primeiro emprego, sistema educacional, Copa do Mundo, democracia direta, dentre outros.


Ascom PSOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário