22 de jul de 2014

JHONATAS DEBATE COMUNICAÇÃO E COMBATE ÀS OPRESSÕES COM ESTUDANTES DE COMUNICAÇÃO, EM ALAGOAS


Jhonatas Monteiro (PSOL) discutiu criminalização da pobreza e dos movimentos sociais em atividade do Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (ENECOM), no dia 21 de julho na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Macéio. O painel “A comunicação que queremos” também contou Bia Barbosa, jornalista e integrante da coordenação do Coletivo Intervozes, que falou sobre democratização da comunicação e a recente aprovação do Marco Civil da Internet; e com a presença do jornalista Ivan Moraes Filho, escritor e militante da Casa de Cultura Luiz Freire, que trouxe um diálogo sobre legislação brasileira e a comunicação enquanto um direito humano. Por sua vez, Jhonatas iniciou suas considerações situando os dois eixos que se propôs a debater, através das perguntas: “Qual opressão?” em que expôs como os meios de comunicação reafirmam cotidianamente práticas sociais que produzem identificação entre desigualdade de direitos e diferenças de gênero, raciais, de sexualidade, geracionais, relativas às pessoas com deficiência e socais; “Qual a Comunicação?”, momento em que discutiu como a mídia não colabora para a construção do pensamento crítico e tem sua atuação direcionada para a construção de um “consenso”, através da difusão de uma visão de mundo baseada nos interesses dominantes – servindo como agente estratégico no controle do que é visto como “legítimo” na dita “opinião pública”. Jhonatas debateu ainda, exemplificando com matérias desses grandes veículos, de que maneira a mídia atua na criminalização dos movimentos sociais, da pobreza e na perpetuação das opressões. Em especial, abordando a naturalização do genocídio que atinge a juventude negra nos programas policialescos de várias emissoras, ressaltou o racismo como sintoma maior dessa opressão. Durante a discussão, a partir das perguntas colocadas, Jhonatas reforçou a necessidade de redes de comunicação alternativa, mobilização crítica contra a mídia corporativa e regulamentação democrática dos meios de comunicação. Assim, chamou atenção para a importância desse processo para a luta social: “A comunicação é um problema de todos e todas. Esse assunto não deve ser discutido somente por estudantes e profissionais da comunicação, mas também outras áreas”.

Ascom PSOL, com informações da Ascom COS UFAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário