16 de mar de 2014

FILIADAS E SIMPATIZANTES DO PSOL DEBATEM VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM FEIRA

Como parte das mobilizações do PSOL de Feira de Santana em torno do Dia Internacional da Mulher (8 de março), ocorreu o “Café com Luta: filiadas e as simpatizantes do PSOL debatendo a violência contra a mulher”, no último 15 de março. A proposição do debate surgiu da necessidade de reflexão acerca do número crescente de casos de violência contra a mulher no nosso estado e, em especial, a realidade vivenciada em Feira de Santana (Que em 2013 dobrou o número de flagrantes de homens que agrediram mulheres, se comparado ao ano de 2012). No evento, a discussão dessa realidade foi iniciada após a exibição do filme “Silêncio das Inocentes”, documentário que trata da violência contra a mulher e o histórico de criação da Lei Maria da Penha. Além do subsídio inicial para discussão, o filme estimulou depoimentos de mulheres presentes na atividade que sofreram algum tipo de violência ou viram isso acontecer com outras mulheres próximas ao seu convívio. A partir dos relatos, foi discutida a ineficiência da Rede de Proteção à mulher vítima de violência em Feira: a falta de transparência das verbas destinadas à Casa Abrigo, a lentidão dos processos e a vulnerabilidade da vítimas, a falta de habilidade dos profissionais do Centro de Referência em lidar com a vítima, os serviços de saúde que não estão preparados para lidar e encaminhar casos de violência desse tipo e o fato da DEAM está fechada nos fins de semana (Justamente quando é maior o número das ocorrências). Além dessa reflexão sobre o cenário das políticas públicas para as mulheres em Feira, a atividade seguiu também com a discussão do machismo enquanto um traço estrutural do atual modelo social e a necessidade de combatê-lo se se quer uma sociedade realmente igualitária, tanto culturalmente quanto em aspectos sócio-econômicos como condições salariais entre homens e mulheres. O término da atividade foi marcado por forte sentimento do envolvimento das mulheres presentes em torno do combate à opressão, bem como necessidade de engajamento na luta contra o machismo em suas diferentes expressões. Também, como sinalização da continuidade de ações, ficou prevista a organização de outras oportunidades para aprofundar a discussão em torno da temática e a mobilização para a participação na audiência pública para debate da violência contra a mulher, realizada na Câmara de Vereadores no dia 20 de março.

Ascom PSOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário