28 de jul de 2015

PSOL FEIRA DE SANTANA DEBATE ELEIÇÕES 2016

Em mais um momento democrático de decisão sobre os rumos do PSOL do município de Feira de Santana, filiadas e filiados se reuniram na primeira de uma série de plenárias eleitorais. O encontro, realizado no último sábado (25 de julho), teve como objetivo fazer uma reflexão coletiva acerca do cenário social e político vivido no município e como o PSOL, a partir da sua postura crítica e combativa, continuará defendendo radicalmente os interesses da maioria da população em sua diversidade. O debate teve como horizonte as eleições municipais de 2016, tendo em vista o papel que o PSOL vem cumprindo nos últimos processos eleitorais ao apresentar uma alternativa pela esquerda e enfrentar as propostas conservadoras dos partidos tradicionais.

A militância fez um diagnóstico da conjuntura de Feira considerando as várias lutas empreendidas a partir da organização popular, por um lado, contra as ações antidemocráticas, autoritárias e ilegais que o atual governo municipal tenta colocar em prática, e, por outro, as várias greves e manifestações que têm enfrentado os governos estadual e federal na sua política de retirada de direitos. Dessa forma, se o cenário feirense ainda é difícil para uma alternativa de esquerda pela evidente presença do clientelismo e aparelhamento da máquina pública pelos partidos tradicionais, nem de longe a realidade local é pacata: o cotidiano dos bairros e dos distritos é marcado por manifestações, muitas vezes explosivas, de descontentamento. Em especial, como visto nas redes e ruas, há um evidente desgaste do modo de gestão do DEM simbolizado no atual quarto mandato de José Ronaldo. Ao mesmo tempo, o PT se mostra incapaz de hoje fazer a contestação radical a essa forma de gestão tanto pela adoção do mesmo método político quanto pela política de conciliação praticada há mais de uma década.

Dado esse contexto, as candidaturas de Jhonatas Monteiro e Sidinea Pedreira em 2012 e em 2014 não só apresentaram quanto consolidaram uma referência alternativa à política tradicional no município. Cumpridas essas tarefas iniciais, o PSOL Feira disputará o processo eleitoral de 2016 com o objetivo de reforço da sua presença na política institucional feirense, o que compreende a possibilidade de uma chapa completa para a disputa de vagas na Câmara Municipal e candidatura própria para a disputa do governo municipal. Também foi consensual a reafirmação do método de campanha diferenciado do PSOL: sem financiamento empresarial, colaborativo tanto nas redes quanto nas ruas, com propostas elaboradas em conjunto com quem sente na pele a exploração e opressão, bem como com candidaturas enraizadas nas lutas sociais. Para tanto, durante a plenária, foi elaborada uma primeira lista indicativa de nomes das diversas companheiras e companheiros que representarão o PSOL em 2016.

Além disso, com o objetivo de retomar e aprofundar o debate eleitoral, assim como analisar as mudanças na situação política, foi indicada uma próxima Plenária Eleitoral do PSOL para o mês de setembro.

Ascom PSOL Feira


Nenhum comentário:

Postar um comentário